Vantagens e desvantagens de ser MEI

O Microempreendedor Individual (MEI) é uma opção atrativa para empreendedores que buscam simplicidade e benefícios fiscais. No entanto, é importante entender tanto as vantagens quanto as desvantagens dessa modalidade empresarial.

Neste artigo, exploraremos detalhadamente as desvantagens de ser MEI, proporcionando uma visão abrangente para quem está considerando essa forma de empreendimento.

O que é Mei?

MEI significa Microempreendedor Individual. É um regime tributário simplificado criado no Brasil para formalizar e facilitar a vida dos trabalhadores autônomos, pequenos empresários e empreendedores informais.

A principal característica do MEI é que ele permite que profissionais autônomos possam se formalizar como pequenos empresários, com um CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica), emitir notas fiscais e ter benefícios previdenciários.

Alguns pontos importantes sobre o MEI:

  • Faturamento Anual: O MEI tem um limite anual de faturamento, que é reajustado periodicamente. Até o meu último conhecimento em janeiro de 2022, o limite era de R$81.000,00 por ano.
  • Atividades Permitidas: Nem todas as atividades podem ser enquadradas como MEI. Existem uma lista de atividades permitidas para adesão ao programa.
  • Contribuições: O MEI paga uma única contribuição mensal, que engloba impostos e contribuições previdenciárias. Essa contribuição é fixa e varia de acordo com a categoria da atividade exercida.
  • Simples Nacional: O MEI está automaticamente enquadrado no Simples Nacional, que é um regime tributário simplificado.
  • Benefícios: O MEI tem direito a benefícios previdenciários, como aposentadoria por idade, auxílio-doença e salário-maternidade.
  • Obrigações Acessórias: Apesar de ser um regime simplificado, o MEI ainda precisa cumprir algumas obrigações acessórias, como a entrega da Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-SIMEI) e, se for o caso, a emissão de notas fiscais.

Quais profissões que não podem ser MEI?

Existem algumas atividades que não podem ser enquadradas como Microempreendedor Individual (MEI) no Brasil. Essas restrições são estabelecidas para garantir que o MEI seja direcionado a atividades de menor complexidade.

Algumas das atividades que não podem ser MEI incluem:

  • Serviços advocatícios
  • Serviços de auditoria
  • Arquitetura e urbanismo
  • Medicina, enfermagem, odontologia, psicologia, psicanálise, terapia ocupacional, acupuntura, podologia, fonoaudiologia, clínicas de nutrição, vacinação e bancos de leite.
  • Engenharia e agronomia
  • Atividades de comércio exterior
  • Gestão, representação comercial e consultoria
  • Produção cinematográfica e audiovisual, e produção de espetáculos de natureza artística e cultural.
  • Transporte intermunicipal e interestadual de passageiros
  • Impressão de jornais, livros e revistas
  • Comércio de combustíveis (exceto comércio varejista de combustíveis para veículos automotores)

O que fazer quando não é possível ser MEI?

Quando não é possível ser Microempreendedor Individual (MEI) devido à natureza da atividade exercida, existem outras formas de formalização e regimes tributários disponíveis.

Aqui estão algumas opções que podem ser consideradas:

Empresário Individual (EI)

Se a atividade não se encaixa nos critérios do MEI, você pode optar por ser um Empresário Individual. Nesse caso, é necessário registrar-se na Junta Comercial do seu estado e cumprir com as obrigações tributárias e trabalhistas relacionadas.

Sociedade Limitada (LTDA)

Se você está iniciando um negócio em parceria com outra pessoa, pode considerar a formação de uma Sociedade Limitada. Esse tipo de empresa oferece uma estrutura mais complexa do que o MEI, mas proporciona maior flexibilidade em termos de administração e distribuição de lucros.

EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada)

A EIRELI é uma opção para empresários que desejam ter a limitação de responsabilidade sem a necessidade de ter sócios. É uma modalidade de empresa que exige um capital social mínimo, que deve ser integralizado no ato da constituição.

Simples Nacional

Independentemente do tipo de empresa escolhido, é possível optar pelo Simples Nacional como regime tributário. Ele simplifica o pagamento de impostos federais, estaduais e municipais para micro e pequenas empresas.

Consultar um Contador

Sempre é recomendável buscar a orientação de um contador para entender as particularidades do seu negócio e escolher a melhor forma de estruturação. Um contador pode ajudar a avaliar as opções disponíveis, considerando as características específicas da sua atividade e os aspectos tributários envolvidos.

Quais as vantagens de ser MEI?

Ser um Microempreendedor Individual (MEI) oferece uma série de vantagens significativas para quem deseja empreender de forma simplificada e com menor burocracia.

 Aqui estão algumas das principais vantagens de ser MEI:

  • Formalização Simplificada: o processo de formalização como MEI é rápido, simples e gratuito. Basta acessar o portal do Empreendedor Individual, preencher o formulário de inscrição e obter o CNPJ, tudo de forma online.
  • Tributação Simplificada: como MEI, você tem um regime tributário simplificado, pagando um valor fixo mensal de impostos que inclui contribuição para o INSS, ISS (se aplicável) e ICMS (se aplicável), sem a necessidade de calcular impostos sobre faturamento.
  • Baixo Custo Tributário: o valor mensal de impostos para o MEI é relativamente baixo em comparação com outras formas de tributação, o que permite uma maior previsibilidade e controle dos custos operacionais do negócio.
  • Benefícios Previdenciários: como contribuinte do INSS, o MEI tem acesso a benefícios previdenciários, como auxílio-maternidade, auxílio-doença, aposentadoria por idade e pensão por morte, desde que cumpra os requisitos estabelecidos.
  • Emissão de Nota Fiscal: o MEI pode emitir notas fiscais para seus clientes, o que aumenta a credibilidade do negócio e permite a participação em licitações e concorrências públicas.
  • Acesso a Serviços Bancários: ao possuir CNPJ como MEI, você pode abrir uma conta bancária empresarial, facilitando o controle financeiro e o acesso a serviços bancários específicos para empresas.
  • Acesso a Linhas de Crédito: o MEI tem acesso a linhas de crédito especiais e facilitadas, tanto do governo quanto de instituições financeiras, que podem ajudar no crescimento e na expansão do negócio.
  • Menor Burocracia: como MEI, você está sujeito a menos obrigações burocráticas em comparação com outras formas de empresa, o que simplifica a gestão do negócio e reduz a carga administrativa.
  • Enquadramento Simples: o MEI pode atuar em diversas atividades econômicas permitidas e enquadradas no Simples Nacional, desde que não ultrapassem o limite de faturamento anual estabelecido.
  • Facilidade de Cancelamento: se desejar encerrar suas atividades como MEI, o processo de cancelamento da inscrição é simples e pode ser feito de forma online, sem custos adicionais.

Quais as desvantagens de ser Mei?

O Microempreendedor Individual (MEI) oferece simplicidade e benefícios para diversos empreendedores no Brasil, mas é essencial considerar as desvantagens associadas a esse regime.

Abaixo estão alguns pontos a serem ponderados:

Desafios com o Limite de Faturamento

  • Desvantagens de ser MEI: o MEI impõe um limite anual de faturamento, atualmente em R$81.000,00. Caso esse limite seja ultrapassado, o empreendedor é desenquadrado e precisa migrar para um regime tributário mais complexo. Isso pode resultar em uma carga tributária mais elevada e exigir maior controle financeiro para evitar penalidades.

Restrições de Atividades:

  • Algumas atividades não podem ser enquadradas como MEI, especialmente aquelas regulamentadas. Isso pode limitar as opções para profissionais em certas áreas.
  • Desvantagens de ser MEI: a restrição de atividades pode impactar a aplicabilidade do MEI em diversos setores. Profissionais de áreas específicas podem enfrentar dificuldades ao tentar formalizar seus negócios nesse regime.

Limitações no Número de Empregados:

  • Desvantagens de ser MEI: o MEI permite apenas um empregado, cujo salário deve obedecer aos limites do salário mínimo ou piso salarial da categoria. Para negócios que demandam equipes maiores, essa limitação pode ser restritiva. Isso pode afetar o crescimento do negócio e a capacidade de atender à demanda do mercado.

Benefícios Previdenciários Limitados:

  • Desvantagens de ser MEI: embora o MEI ofereça alguns benefícios previdenciários, como aposentadoria por idade e auxílio-doença, eles são mais limitados em comparação com outros regimes previdenciários. Isso significa que empreendedores podem ter uma proteção social menos abrangente.

Ausência de Nota Fiscal para Empresas:

  • Desvantagens de ser MEI: o MEI está dispensado da emissão de nota fiscal para consumidores pessoas físicas. Essa dispensa pode restringir as oportunidades de negócio, especialmente em transações comerciais que exigem a emissão de nota fiscal. Empresas que preferem trabalhar com fornecedores formalizados podem evitar parcerias com MEIs devido a essa limitação.

Dificuldades em Obter Crédito:

  • Desvantagens de ser MEI: a histórica informalidade associada aos MEIs pode resultar em dificuldades para obter crédito junto a instituições financeiras, tornando a obtenção de financiamentos uma tarefa mais desafiadora. A falta de histórico formal pode ser um obstáculo para a obtenção de empréstimos e linhas de crédito.

Obrigações Acessórias:

  • Desvantagens de ser MEI: apesar das simplificações, o MEI ainda possui obrigações acessórias, como a entrega da Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-SIMEI). O não cumprimento dessas obrigações pode acarretar penalidades, exigindo uma gestão rigorosa para evitar problemas legais.

Limitação Geográfica:

  • Desvantagens de ser MEI: o MEI é mais adequado para atividades locais, e sua aplicabilidade pode ser limitada em negócios com planos de expansão para outras regiões. Empreendedores com ambições de crescimento geográfico podem encontrar restrições ao operar exclusivamente como MEI.

Quais as diferenças entre MEI e autônomo/informal?

As diferenças entre Microempreendedor Individual (MEI) e autônomo/informal são significativas em termos de formalização, tributação e benefícios previdenciários. 

Aqui estão algumas distinções importantes:

MEI (Microempreendedor Individual):

  • Formalização: O MEI é uma forma de empresa formal, com registro no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ).
  • Tributação: O MEI tem um regime tributário simplificado, com pagamento de tributos mensais fixos, englobando Imposto de Renda, PIS, Cofins, INSS e ICMS ou ISS.
  • Limite de Faturamento: O MEI possui um limite anual de faturamento, reajustado periodicamente. Até minha última atualização em janeiro de 2022, o limite era de R$81.000,00.
  • Benefícios Previdenciários: O MEI tem direito a benefícios previdenciários, como aposentadoria por idade, auxílio-doença e salário-maternidade.
  • Emissão de Nota Fiscal: Embora não seja obrigatório para consumidores pessoas físicas, o MEI pode e deve emitir nota fiscal para outras empresas.

Autônomo/Informal:

  • Formalização: O autônomo/informal não está formalizado como empresa. Pode atuar de maneira independente, sem registro no CNPJ.
  • Tributação: O autônomo/informal não está sujeito ao regime tributário do MEI. Geralmente, os tributos são pagos de forma simplificada ou isenta, dependendo da faixa de renda.
  • Limite de Faturamento: Não há um limite específico de faturamento para autônomos ou informais, mas eles podem estar sujeitos a obrigações tributárias diferentes, dependendo da legislação do país ou região.
  • Benefícios Previdenciários: Autônomos/informais podem ter acesso a benefícios previdenciários, mas o processo pode ser mais complexo e dependerá das contribuições individuais para a previdência.
  • Emissão de Nota Fiscal: Autônomos/informais podem não ter a obrigatoriedade de emitir nota fiscal para consumidores pessoas físicas, dependendo da legislação local.

Conclusão

Em conclusão, tornar-se um Microempreendedor Individual (MEI) no Brasil envolve um equilíbrio cuidadoso entre vantagens e desvantagens. As vantagens incluem a facilidade de formalização, simplicidade tributária, acesso a benefícios previdenciários e a possibilidade de emissão de nota fiscal. Esses benefícios fazem do MEI uma opção atraente para empreendedores individuais e pequenos negócios, incentivando a legalidade e proporcionando uma estrutura tributária simplificada.

No entanto, é igualmente essencial considerar as desvantagens associadas ao MEI. O limite de faturamento pode restringir o crescimento de negócios mais prósperos, as restrições de atividades podem excluir profissões específicas, e a limitação no número de empregados pode ser uma barreira para empreendimentos que demandam uma equipe maior.

Além disso, as obrigações acessórias e a formalidade podem não se adequar a todos os modelos de negócios. Assim, a escolha de se tornar um MEI deve ser baseada nas necessidades específicas do empreendedor, na natureza do negócio e nas metas de crescimento. Recomenda-se buscar orientação de um contador para avaliar de forma abrangente as implicações tributárias e legais, auxiliando na tomada de decisão informada para garantir o sucesso a longo prazo do empreendimento. Precisando de suporte com este tema, entre em contato conosco, a Lage Contabilidade possui experiência de 30 anos de mercado, e pode te ajudar!

Compartilhe:

Rolar para cima