Lucro real é cumulativo ou não cumulativo?

No sistema tributário brasileiro, o lucro real é uma das modalidades de apuração do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) para empresas. No entanto, surge uma dúvida frequente: o lucro real é cumulativo ou não cumulativo? 

Neste artigo, vamos explorar essa distinção e entender melhor como funciona o lucro real no contexto tributário. Vamos analisar as características do lucro real cumulativo e não cumulativo, as diferenças na apuração e no recolhimento de impostos, bem como as vantagens e desvantagens de cada modalidade para as empresas. Se você está interessado em compreender melhor as nuances do lucro real e como ele impacta a tributação das empresas, continue a leitura. 

O que é lucro real?

O lucro real é um regime tributário utilizado por empresas para calcular o imposto de renda e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). Nesse regime, o imposto é calculado com base no lucro contábil apurado pela empresa em sua contabilidade, ajustado conforme as normas fiscais e contábeis estabelecidas pela legislação tributária.

Diferentemente do lucro presumido, no qual o imposto é calculado com base em uma estimativa de lucro determinada pela Receita Federal, no lucro real o imposto incide sobre o lucro efetivamente apurado pela empresa em sua contabilidade.

Para determinar o lucro real, a empresa deve realizar ajustes contábeis em seu lucro contábil, considerando adições, exclusões e compensações permitidas pela legislação tributária. Alguns dos ajustes comuns incluem a adição de despesas não dedutíveis, exclusão de receitas não tributáveis e compensação de prejuízos fiscais de períodos anteriores. O lucro real oferece maior precisão na apuração do imposto devido, já que leva em consideração o lucro efetivamente obtido pela empresa, proporcionando uma tributação mais justa e equitativa. No entanto, pode exigir uma estrutura contábil mais complexa e o acompanhamento constante das normas e regulamentos fiscais.

Qual a função do lucro real?

A função do lucro real é determinar de forma mais precisa e justa a base de cálculo do imposto de renda e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) das empresas. Ao contrário do lucro presumido, no qual o imposto é calculado com base em uma estimativa do lucro, no lucro real, o imposto incide sobre o lucro líquido efetivamente apurado pela empresa em sua contabilidade, ajustado conforme as normas fiscais e contábeis estabelecidas pela legislação tributária. 

Assim, a função do lucro real é garantir que a tributação das empresas seja mais precisa e equitativa, refletindo de maneira mais fiel os resultados financeiros obtidos. Isso proporciona uma tributação mais justa, uma vez que o imposto é calculado com base no lucro real auferido pela empresa, levando em consideração todos os ganhos e despesas que influenciam o resultado financeiro.

Além disso, o lucro real permite que as empresas utilizem prejuízos fiscais de períodos anteriores para compensação, o que pode reduzir a carga tributária em períodos de menor lucratividade. Isso contribui para uma gestão mais eficiente da carga tributária ao longo do tempo e proporciona maior flexibilidade financeira para as empresas.

As principais características do lucro real incluem:

  • Apuração com Base no Lucro Contábil: O imposto de renda e a CSLL são calculados com base no lucro líquido efetivamente apurado pela empresa em sua contabilidade, ajustado conforme as normas contábeis e fiscais.

  • Necessidade de Contabilidade Detalhada: Para aplicar o regime do lucro real, a empresa deve manter uma contabilidade detalhada e precisa, que permita calcular seu lucro líquido de acordo com as normas contábeis e fiscais.

  • Compensação de Prejuízos Fiscais: As empresas podem compensar prejuízos fiscais de períodos anteriores com lucros futuros, reduzindo assim a carga tributária em períodos de menor lucratividade.

  • Possibilidade de Utilização de Créditos Tributários: O lucro real permite que as empresas utilizem créditos tributários gerados por pagamentos antecipados ou retidos na fonte para abater o valor do imposto devido.

  • Flexibilidade na Escolha do Regime: Algumas empresas têm a opção de escolher entre o regime do lucro real e o lucro presumido, com base em critérios como o volume de receitas, atividade econômica e lucratividade.

  • Aplicação de Alíquotas Progressivas: As alíquotas do imposto de renda e da CSLL no regime do lucro real podem variar de acordo com o montante do lucro tributável, sendo aplicadas de forma progressiva conforme o aumento do lucro da empresa.

O Lucro real é cumulativo ou não cumulativo?

O regime de tributação conhecido como Lucro Real pode ser tanto cumulativo quanto não cumulativo, dependendo das características das atividades e da opção feita pela empresa. No regime cumulativo, os tributos são calculados sobre o faturamento bruto da empresa, sem considerar as deduções de despesas, resultando em uma carga tributária mais elevada. Já no regime não cumulativo, os tributos são calculados sobre o lucro líquido, permitindo a dedução de despesas operacionais e não operacionais, o que geralmente resulta em uma carga tributária menor. Vamos explicar brevemente a diferença entre os dois:

  • Lucro Real Cumulativo: Neste regime, a base de cálculo dos tributos é determinada pelo lucro líquido apurado pela empresa, sem considerar a possibilidade de dedução de créditos tributários. Isso significa que os impostos são calculados sobre o lucro bruto, sem a possibilidade de compensação de créditos de tributos pagos em operações anteriores. Este regime é mais comum para impostos como o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

  • Lucro Real Não Cumulativo: Neste regime, as empresas têm o direito de descontar créditos tributários, como PIS (Programa de Integração Social) e COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social), sobre as despesas e custos incorridos nas operações realizadas. Isso permite que o valor do imposto a ser pago seja reduzido, já que é possível abater esses créditos do montante total devido. Este regime é mais comum para tributos como PIS e COFINS.

Como saber se minha empresa se enquadra no lucro real cumulativo ou não cumulativo?

Para determinar se sua empresa se enquadra no lucro real cumulativo ou não cumulativo, é necessário considerar diversos fatores, incluindo o tipo de atividade econômica da empresa, seu faturamento anual, regime tributário atual e a escolha mais vantajosa para sua situação específica. Aqui estão algumas orientações para ajudá-lo a tomar essa decisão:

Consulte um Profissional Contábil

A legislação tributária é complexa e está sujeita a alterações frequentes. Por isso, é recomendável consultar um contador ou profissional contábil especializado em tributação para analisar sua situação empresarial e orientá-lo sobre o regime tributário mais adequado.

Avalie o Faturamento Anual

O lucro real não cumulativo é mais vantajoso para empresas com faturamento mais elevado, pois permite a utilização de créditos tributários, como PIS e COFINS, sobre as despesas incorridas nas operações. Se sua empresa tem um faturamento considerável, o lucro real não cumulativo pode ser mais vantajoso.

Considere as Atividades da Empresa

Algumas atividades econômicas podem ter restrições específicas quanto ao regime tributário. Por exemplo, instituições financeiras e seguradoras geralmente são obrigadas a adotar o lucro real não cumulativo. Portanto, verifique se sua atividade econômica possui alguma regulamentação específica nesse sentido.

Analise os Benefícios e Desvantagens

Compare os benefícios e desvantagens de cada regime tributário, levando em consideração aspectos como simplicidade na apuração, compensação de prejuízos fiscais, utilização de créditos tributários e impacto na carga tributária total.

Avalie a Complexidade da Contabilidade

O lucro real não cumulativo pode exigir uma contabilidade mais detalhada e complexa, devido à necessidade de acompanhar os créditos tributários e realizar os cálculos de forma precisa. Portanto, leve em consideração a capacidade da sua empresa de lidar com essa complexidade contábil.

Conclusão

Em resumo, o Lucro Real é um regime de tributação no qual o imposto de renda é calculado com base no lucro líquido ajustado da empresa. Diferentemente dos regimes de tributação cumulativo e não cumulativo, o Lucro Real não se enquadra em nenhuma dessas categorias. 

No Lucro Real, os tributos são calculados sobre o lucro líquido ajustado, considerando todas as receitas e despesas da empresa, inclusive as não operacionais. Não há um sistema de créditos ou compensações como no regime não cumulativo, nem uma tributação simplificada sobre a receita bruta como no regime cumulativo. Assim, o Lucro Real é um regime de tributação mais complexo, que exige uma apuração rigorosa do lucro líquido e o pagamento de impostos de acordo com a legislação fiscal vigente. Sua escolha pode depender de diversos fatores, como o volume de receitas e despesas, a estrutura da empresa e as estratégias de planejamento tributário adotadas. Precisando de suporte com este tema, entre em contato conosco, a Lage Contabilidade possui experiência de 30 anos de mercado, e pode te ajudar!

Compartilhe:

Rolar para cima